Natália Tudrey

Editora da Balão Editorial

 

Quer pedir um café? Suco?
Café! Com uma colher de açúcar mascavo, por favor.

Ouviu a moça, John. Eu quero o café puro mesmo. (à Natália) Vou te fazer algumas perguntas desnecessárias, gata, tudo bem?
Manda.

Que diabos aconteceu com você para editar quadrinhos?
Pergunta pro Guilherme Kroll, a culpa é dele! Hahahaha, brincadeira. Tenho muitos amigos quadrinistas e editar livros é a minha paixão. Uma coisa levou a outra e quando eu conheci a Flávia Yacubian e o Guilherme Kroll na faculdade e decidimos criar a Balão, foi inevitável colocar os quadrinhos na nossa linha editorial.

Você não faz ideia de quanto eu gosto de coisas inevitáveis… Já que você tem editado tanta coisa, me diga: o que mais te deixa excitada em uma narrativa gráfica? Física ou mentalmente, tanto faz. Fique à vontade.
Eu gosto de histórias bem contadas, intrigantes. O desenho pode ser foda ou não, não me importa, desde que faça sentido, tá valendo.

Isso! (apontando para o que ela acabou de dizer) E o que é mais broxante?
Eu não curto virtuosismo, parece solo de guitarra de meia hora, um saco.

Hahhahah! (o café é servido junto com o açúcar mascavo que Natália pediu) Sempre detestei solo de guitarra (Natálie adiciona uma colherinha de açúcar ao café) de todas as variações do metal. (ela mexe o café) Tremendo porre. Mil vezes um solo de violão flamenco àquela punhetagem. (a editora prova do café que está perfeito) Desenho demais é isso também, concordo piamente, amore. Bem, uma vez o Rafa foi categórico, como ele sempre é, e disse que os quadrinhos NÃO são o primo pobre do cinema. Acredito que você compactue da mesma ideia. Mas diga aí um quadrinho que seria legal ver nas telonas. Vamos fazer nossos amiguinhos ganhar uma grana com a cessão de direitos autorias ou morrer tentando. (bebendo seu café)
Acho que a maioria dos quadrinhos daria certo nas telonas. Sempre que edito um, fico imaginando como seria.

Imagino que seja um prazer à parte. Uma quadrinista foda e porquê?
Eu adoro autobiografias, como a da Marjane Satrapi em Persépolis. Sempre que mostro para garotas que não curtem quadrinhos, é paixão a primeira vista, todas adoram, e eu também!

(Com um sorriso de orelha a orelha) Não sei se você leu o quadrinho Gosto do Cloro do Bastien Vivès…. Um casal de personagens está nadando na piscina. Tem uma cena onde ela diz algo debaixo d´água e ficamos sem saber o que ela disse. Aquilo me pegou de jeito. Existe alguma cena nos quadrinhos que vale a pena comentar aqui?
Tem uma cena emocionante no livro Memória de Elefante, do Caeto, em que o cachorro dele faz xixi na minha perna. Não deixe de conferir! (bebendo mais um gole de café com açúcar mascavo)

O cachorro no Memória de Elefante faz xixi na sua perna? Ele te desenhou lá? (por trás da xícara de café, Natália acena que sim) Que massa! Vou te fazer uma pergunta indecente. Posso? Não é algo que eu queira perguntar, mas preciso seguir um roteiro. Se você fosse um personagem dos quadrinhos, quem seria? Desculpa.
Eu nunca achei que fosse ler um mangá até ler o Gourmet. Todas as cenas do personagem comendo me deram água na boca! Eu queria ser ele…

Ahh, eu amo esse mangá!! Amar é uma palavra forte demais para ser usada assim, mas (confidencialmente) que se dane! Amo! (risos) Quem sabe um dia, quando ganhar na mega não te convido para ir junto comigo e traçar o mesmo percurso, hein? Que tal, gata? Por hora, imagine que você está na pele do comilão e seu futuro, por algum motivo, parece desesperador. O que você gostaria de fazer exatamente agora?
Imagino que a única saída será comer peixe cru e ser feliz até o fim chegar.

Mais japonês, impossível! Última pergunta e prometo não te aporrinhar mais, Nati. Ao menos, não por enquanto. (piscadinha) Mas gostaria que você fosse sincera. Como foi para você ser abduzida?
Ainda tô meio desconfiada, mas tem café, então tá ótimo!

Tem café? (estranhando a amiga que liquida seu último gole de café) Obrigada pela entrevista, amore. Aceita uma sobremesa?
Tá calor! Vamos tomar uma?

Tá demais, né, gata? Se soubesse que você curte o movimento tinha oferecido de cara… João!

natalia-tundrey

 

Anúncios

Um comentário sobre “Natália Tudrey

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s